Sua colaboração vai nos ajudar a fazer o mundo melhor através do desenvolvimento social, cultural e educacional.

Arraste para escolher o valor

Clique e digite outro valor

R$

Publicado em 10/07/2020

Estação Ferroviária de Santa Bárbara completa 103 anos




Salve, 14 de julho!”. Assim, inicia a matéria impressa no jornal “A Verdade”, com data de 22 de julho de 1917, que trouxe a cobertura dos festejos da inauguração da Estação Ferroviária de Santa Bárbara em 14 de julho de 1917. Hoje o espaço, após revitalização, é gerido pela Fundação Romi e funciona a Estação Cultural, que realiza atividades gratuitas voltadas à educação e cultura.

O impresso “A Verdade”, de 22 de julho de 1917, traz duas páginas dedicadas a todos os acontecimentos de 14 de julho de 1917. O documento histórico pode ser encontrado, versão online, no banco de dados do Centro de Documentação Histórica – CEDOC da Fundação Romi no site http://cdoc.fundacaoromi.org.br/. Ao ler o periódico, percebe-se que foi um marco a inauguração da Estação Ferroviária de Santa Bárbara. “ A população de Santa Bárbara, vibrou, por isso num movimento unanime de jubilo legítimo e irreprimível ao raiar dessa aurora feliz e para sempre bemdieta em que as possantes locomotivas da Companhia Paulista transpuseram nela vez primeira o marco divisório que nos segregava”.

As obras do ramal para ligar as linhas da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, partindo de Nova Odessa e terminando em Piracicaba, foram solicitadas ao governo do Estado de São Paulo em 1902, mas somente tiveram início a partir de 1913. “ A construção do primeiro trecho da via férrea até Santa Bárbara demorou mais do que o planejado, em virtude da 1ª Guerra Mundial, que dificultou a importação de produtos, como a aquisição de trilhos”, conta a coordenadora do CEDOC da Fundação Romi Sandra Edilene de Souza Barboza.

Com o avanço das obras, quilômetros de linhas cortaram Santa Bárbara, pontes foram construídas e, próximo ao Ribeirão dos Toledos foram edificados os prédios para a instalação da estação, das residências do chefe e demais funcionários da Companhia Paulista de Estrada de Ferro. Em 14 de julho de 1917, foi inaugurado o ramal partindo de Nova Odessa, passando pelo posto telegráfico de Recanto (onde ficava a chave utilizada para a mudança da linha), terminando na Estação de Santa Bárbara.

Antes da inauguração da Estação de Santa Bárbara, em 1917, a cidade já contava com uma linha férrea particular em toda a propriedade da Companhia de Estrada de Ferro e Agrícola Santa Bárbara (conhecida como Usina Santa Bárbara), inaugurada em 25/07/1914. Com a chegada dos trilhos da Companhia Paulista, a usina construiu uma linha ligando as linhas férreas.
Em agosto de 1919, foram retomados os trabalhos de execução das obras de continuidade do ramal em direção a Piracicaba. Em 29 de julho de 1922, foi oficialmente aberto o ramal partindo de Nova Odessa passando por Recanto, Santa Bárbara, e seguindo para Piracicaba. Nesse dia foram inauguradas as Estações de Caiubi, Tupi, Taquaral e Piracicaba.

O complexo arquitetônico que hoje é Estação Cultural da Fundação Romi, desde a primeira revitalização em 2005 e inauguração em dezembro de 2007, já recebeu mais de 200 mil pessoas durante seu funcionamento. “Sempre celebramos o aniversário de inauguração da Estação Ferroviária, que foi parte importante para o desenvolvimento de Santa Bárbara d'Oeste”, afirma o superintendente da Fundação Romi Vainer Penatti. “Com a Pandemia do novo Coronavírus, e estarmos sem nossas atividades presenciais, realizaremos uma LIVE, na página do Facebook da eEstação Cultural no dia 14 de julho, às 16 horas, e falaremos desta história, do início das obras até nossa cessão de exploração do espaço, com revitalização e entrega da Estação Cultural à comunidade”, finaliza.

Receba nossas novidades

19 3499.1555

Av. João Ometo, 200, Jd. Panambi - Santa Bárbara d'Oeste, SP

Que tal uma visita?

© Fundação Romi - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por