Sua colaboração vai nos ajudar a fazer o mundo melhor através do desenvolvimento social, cultural e educacional.

Arraste para escolher o valor

Clique e digite outro valor

R$

Os alunos do Núcleo de Educação Integrada iniciam o ano letivo de 2019 com uma série de novidades.




Desde segunda-feira, 28 de janeiro, os alunos do Núcleo de Educação Integrada da Fundação Romi vêm retomando suas rotinas escolares. Aos poucos, cada turma de veteranos e novos ingressos veio chegando e ocupando seus espaços. Visualmente, pais, familiares e alunos já se depararam com um cenário diferente: um novo time de professores soma-se aos ilustres da casa, novos espaços e mais de 700 alunos transitando pelos corredores, salas e gramado. “Sejam bem-vindos”, enfatiza a Diretora do NEI, Ericka Vitta. Segundo ela, a ambientação é parte do processo de recepção desses novos e velhos alunos. “A convivência, a alteridade e a empatia constituem o processo de construção da identidade individual. É no "outro" que construo e reconheço o "eu". Assim vem sendo os primeiros dias de atividades aqui no NEI, repleto de ações integrativas para que time de educadores e os alunos se conheçam e se reconheçam como integrantes deste novo e renovado Núcleo de Educação Integrada”.

É a primeira vez que o NEI recebe crianças da Educação Infantil e do Ensino Fundamental 1. Desta forma, o receptivo dos pequenos teve uma emoção a mais. “É, muito provavelmente, a primeira experiência das crianças com o sentimento da saudade”, conta a Diretora. “O choro embargado, uma sensação nova que ainda não tem nome e, tampouco, os pequenos possuem experiência para lidar com ela. Por vezes, transbordam. O ambiente novo, extremamente amplo e repleto de pessoas desconhecidas gera desconforto – ao menos inicialmente. Momentos depois, a angustia passa, a curiosidade aguça, a confiança no outro começa a ser estabelecida. Eles começam a se reconhecerem no outro, então nascem as novas amizades, os novos laços, a exploração dos novos espaços. A emoção torna-se outra”, afirma.

Pioneiro regional em metodologias ativas na educação, cuja proposta é formar alunos com múltiplas experiências, capazes de empreender e transitar com segurança por competências técnicas e emocionais, tanto os jovens do Ensino Médio do NEI quanto os muito pequenos da Educação Infantil, salvaguardando as devidas proporções, vivenciarão um ensino fundamentado na Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL), em Equipes (TBL), em Projetos e em Centros de Interesse, conectando conteúdos teóricos às experiências vivenciais. Ao todo, o complexo do Núcleo de Educação Integrada envolve seis prédios que somam 6mil m2 alocados em 50mil m2 de área verde, envolvendo mais de 30 salas ambiente, laboratórios e ateliês, espaços de convivência, além do ginásio multicultural e poliesportivo (a ser inaugurado ainda no primeiro semestre).



Dentre as novidades para 2019 estão o Maker o STEM empreendidos em todos os ciclos educacionais da escola. O professor de STEM, Luiz Eduardo Pacagnella, traz para o NEI essa abordagem para engajar os alunos em atividades práticas que misturam diferentes conhecimentos e conduzem a uma aprendizagem criativa. "Nas atividades de STEM os alunos entendem o processo criativo e as ciências por trás deste processo", conta. STEM é a sigla em inglês para Science, Technology, Engineering e Mathematics (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática). Ainda segundo o professor Luiz Eduardo, “a ideia é reunir os conhecimentos dessas quatro áreas em torno da construção de algo que resolve o desafio proposto”.

Nesta mesma atmosfera experiencial, a proposta do Movimento Maker, conta a Professora Karina Angolini, de Maker, “é incentivar os alunos a construírem seus próprios objetos e prototiparem projetos”. Nesse sentido, conta ainda, que “a cultura maker parte do princípio de que qualquer pessoa pode construir, consertar, modificar, fabricar e desenvolver os mais diversos tipos de objetos e projetos com suas próprias mãos”.
Somado a tudo isso, a Expressão Artística tem peso fundamental na formação do indivíduo, quer seja por meio das artes visuais, da música ou do teatro. A professora Gabriela Pylles traz para os alunos do NEI o universo da Expressão Artística, ou seja, as diversas formas de o ser humano expressar suas emoções, sua história, sua cultura, seus valores, como sua concepção de beleza, harmonia e equilíbrio. "São nas ações desenvolvidas dentro e fora destas salas ambiente, laboratórios e ateliês e, espaços de convivência que iremos despertar uma multiplicidade de sensações", conta.



Os adolescentes e jovens, que vivenciam os conflitos da puberdade e iniciam o processo de maturação, sobretudo os recém-ingressos ao NEI, também estão provando o clima disruptivo da escola nestes primeiros dias. A garotada que chega, ainda acanhada, é imediatamente submersa nos seus novos agrupamentos, conhecem os professores, especialistas e espaços multifuncionais. “Os novos alunos receberam um passaporte. Nele, eles se identificaram e autorretrataram. Na sequência, foram recebidos pelos veteranos em uma série de estações de integração. Em cada estação, uma charada estimulava a exploração nesta, ainda desconhecida, escola. Cada etapa cumprida valia uma autenticação e a oportunidade de interagir com os veteranos e professores”, conta a professora de Educação Física, Priscila de Carvalho.

“Será um ano intenso, contudo, revigorante”, entusiasma-se Ericka Vitta. “Ainda neste trimestre inauguraremos o Laboratório de Química e Física e o Espaço Convivência, dedicado ao atendimento psicológico e orientação vocacional, além do ginásio multicultural e poliesportivo com capacidade para 1500 lugares e um campo de futebol com medidas semioficiais, já em junho”, antecipa.

Receba nossas novidades

19 3499.1555

Av. Monte Castelo, 1095, Jd. Primavera - Santa Bárbara d'Oeste, SP

Que tal uma visita?

© Fundação Romi - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por