NOTÍCIAS
COMPARTILHE:

17 MIL ESTUDANTES PASSARAM PELA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL DO CEDOC DA FUNDAÇÃO ROMI

Oficinas de Educação Patrimonial do CEDOC da Fundação Romi encerram com IPHAN e recomeçam com patrocínio da CAIXA.


A função mais vigorosa do Centro de Documentação Histórica (CEDOC) da Fundação Romi é propiciar, através da Educação Patrimonial, às escolas e instituições assistenciais um o espaço de integração pedagógica, através da exploração da história local e a experimentação de novos temas. Assim, como pontua a Museóloga Dra. Maria de Lourdes Horta e, consultora que assistiu à estruturação desta área da Fundação Romi, “a Educação Patrimonial é um instrumento de "alfabetização cultural" que possibilita ao indivíduo fazer a leitura do mundo que o rodeia, levando-o à compreensão do universo sociocultural e da trajetória histórico-temporal em que está inserido. Este processo leva ao reforço da autoestima dos indivíduos e comunidades e à valorização da cultura brasileira, compreendida como múltipla e plural”. Desta forma, enquanto espaço educacional, o CEDOC promove momentos de interação entre os estudantes, os professores e as fontes de aprendizagens que estão sob sua guarda. 

Voltado para crianças do Jardim II e Ensino Fundamental I, o projeto "História Local Como Elemento de Cultura e Cidadania" foi viabilizado por meio do Fundo Nacional de Cultura, resultado do Convênio nº.788321/2013 firmado entre o CEDOC da Fundação Romi e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Durante os dois anos e meio do projeto, iniciado em 2014, passaram pelo CEDOC mais de 17.000 mil crianças. Foram realizadas 340 oficinas de artes, 90 visitas teatralizadas, 240 contações de historia no espaço expositivo. 

“Esse projeto dinamizou as atividades educacionais do CEDOC da Fundação Romi, ofertando aos alunos participantes materiais consistentes e mais lúdicos, oportunizando, inclusive, que essas crianças transmitissem aos seus familiares o que haviam aprendido neste espaço de cultura, memória e identidade, além de enriquecer o arcabouço didático dos educadores que usufruíram desta oportunidade. Possibilitou também a concretização do trabalho integrado de artes plásticas, contação de história e teatro à difusão do acervo histórico que está sob a guarda do CEDOC”, enfatiza Sandra Edilene de Souza Barboza, Coordenadora do CEDOC da Fundação Romi. “Esta forte parceria entre a Fundação Romi e o IPHAN trouxeram à tona aspectos fundamentais para o desenvolvimento cultural da sociedade, sobretudo, na esfera da educação infantil e fundamental”, conclui Sandra.

Os impressionantes números de beneficiados pela Educação Patrimonial do CEDOC atraíram um novo parceiro: a CAIXA. Firmada em abril deste ano, a parceria entre a CAIXA e a Fundação Romi destinará ao CEDOC investimentos de R$200mil para a nova edição do projeto, intitulado “CEDOC em Movimento”, e cujo objetivo é realizar ações educativas direcionadas aos educadores, aos estudantes e à comunidade de Santa Bárbara d’Oeste e região, beneficiando aproximadamente 35.000 pessoas até o fim de 2018.

“Nesta nova etapa, a evolução do nosso projeto de Educação Patrimonial, além recebermos os alunos aqui para explorarmos juntos os espaços e áreas temáticas do CEDOC através de jogos lúdicos, resolução de enigmas e desafios investigativos, vamos trabalhar fortemente ações extramuros. Queremos levar o acervo do CEDOC, a história de Santa Bárbara d´Oeste, salvaguardada em nossa instituição, às escolas e aos espaços de acesso público. Para além de receber visitantes, almejamos levar memórias ao maior número de pessoas”, entusiasma-se Sandra, Coordenadora do CEDOC.

O projeto “CEDOC em movimento” foi selecionado no edital do Programa Caixa de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro – 2017/2018, no qual concorreram propostas de instituições de várias regiões do país, sendo selecionados 13 projetos, representando um valor total de R$ 3 milhões com utilização prioritária da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

O Centro de Documentação Histórica da Fundação Romi firma-se como um espaço de educação não-formal, disponibilizando informações sobre seus acervos, fomentando pesquisas e o contato com outros universos culturais; é desta forma que a instituição dedica-se ao passado, desempenhando papel fundamental no reconhecimento e na construção da identidade municipal.

Inscrições – Estão abertas as inscrições para o segundo semestre de 2017. O agendamento das escolas interessadas deve ser realizado através do telefone do CEDOC da Fundação Romi 19.3499.1558. Mais informações podem ser consultadas por telefone (19) 3499-1555, pelo site da instituição www.fundacaoromi.org.br ou diretamente pelo hotsite do projeto www.fundacaoromi.org.br/cedoc/educacaopatrimonial.

Programação das oficinas

Oficina: CAÇA AO TESOURO
Público Alvo: Jardim 2
Duração: 1h30 
Número máximo de participantes: 40
Atividade: Através da brincadeira do Caça ao Tesouro, as crianças irão conhecer o CEDOC como um local que “guarda” a história da Cidade. Como no mundo do faz de conta serão os piratas do CEDOC que irão montar o seu próprio chapéu. Divididos em grupos irão explorar o museu a partir de pistas  espalhadas no próprio local. Ao percorrerem o Espaço Expositivo, os objetos antigos serão apresentados e contextualizados no jogo do Caça ao Tesouro. 

Oficina: EXPLORADORES DO CEDOC
Público Alvo: Ensino Fundamental I
Duração: 1h40
Número máximo de participantes: 40
Atividade: Conhecer os Meios de Transporte de antigamente através de um jogo de descoberta é a proposta dessa oficina. Trajados como exploradores e respondendo a perguntas de um álbum de figurinhas interativo irão aprender de forma lúdica sobre o Carro de Boi, Carroça, Trole, Trator Toro e Romi-Isetta. 

Oficina: COMO ERA, COMO É?
Público Alvo: Ensino Fundamental I
Duração: 1h40
Número máximo de participantes: 40
Atividade: Na brincadeira do faz de conta, os estudantes irão descobrir “Como era, como é” a cidade de Santa Bárbara d’Oeste. Vestidos de investigadores irão percorrer o museu para encontrar como a cidade era antigamente, as histórias a respeito dos objetos e fotografias, além de seus detalhes curiosos. Durante o percurso os participantes irão completar um álbum interativo com o objetivo de conhecerem o passado e estabelecer relações com o presente. 

Oficina: ENIGMAS NO CEDOC – Fundação da Cidade
Público Alvo: Ensino Fundamental I
Duração: 1h40
Número máximo de participantes: 40
Atividade: Nessa atividade os alunos serão detetives e terão que descobrir a história da fundação da cidade de Santa Bárbara d’Oeste. Vestidos com suas capas de detetives e lupas nas mãos irão procurar evidências, pistas e ao final da atividade conhecerão sobre Margarida da Graça Martins, a fundadora da Cidade. 

Oficina: ENIGMAS NO CEDOC – Imigração 
Público Alvo: Ensino Fundamental I
Duração: 1h40
Número máximo de participantes: 40
Atividade: Nessa atividade os alunos estarão vestidos com capas de detetives e lupas nas mãos e irão procurar evidências, pistas e descobrir a história dos imigrantes que vieram para Santa Bárbara d’Oeste.